A liberdade do comércio livre

Foto: Jesse Freeston

Deixo aqui uma pequena história contada no Guardian para se perceber como as multinacionais se movem para atingir os seus objectivos passando por cima dos interesses dos países pobres. Quem diz multinacionais diz todo o complexo político e económico internacional que envolve estados, organizações internacionais, legislação, acordos, tratados, guerras, invasões e ingerências, montado para garantir a exploração da maioria em favor da elite.

Uma empresa canadiana chamada Pacific Rim encontrou depósitos de ouro em El Salvador e obviamente quer explorar ao máximo a oportunidade. O governo de El Salvador, no entanto, acha que a extracção de ouro consome demasiada água e obriga à utilização de grande quantidade de químicos tóxicos e por isso opôs-se à Pacific Rim alegando razões ambientais. Em Março do ano passado um governo mais à esquerda com Mauricio Funes à cabeça ganha as eleições e mantêm a proibição da exploração, com o apoio de um alargado movimento social e pelo estudo de impacto ambiental de uma empresa independente norte-americana especializada em hidrogeologia e geoquímica.

O próximo passo da Pacific Rim é apresentar queixa ao TLC (Tratado de Libre Comercio entre Estados Unidos, Centroamérica y República Dominicana) ou CAFTA (Central American Free Trade Agreement). Este tratado tem mecanismos de ultrapassar as barreiras legais dos países aderentes. A chamada disputa “investidor-Estado” garante aos investidores estrangeiros o direito de levar El Salvador a um painel do Banco Mundial e processar o governo pelos prejuízos sofridos por não ter sido possível explorar o país e danificar o seu meio-ambiente.

O cinismo desta empresa e destas áreas de comércio “livre” não se fica por aqui. Como o Canadá não pertence à CAFTA a empresa canadiana Pacific Rim apresentou esta queixa através da sua subsidiária nos Estados Unidos.

O valor da compensação pretendida é da ordem dos 100 milhões de dólares, valor que é quase o dobro da ajuda dos EUA ao país. Em El Salvador, 34.6% da população vive com menos de 2 dólares por dia.

Como noutras situações semelhantes um pouco por todo o mundo, o conflito entre as corporações e as comunidades locais acaba em violência e geralmente com grande prejuízo para o lado mais fraco. Três activistas anti-minas foram já mortos desde o início do processo na CAFTA.

O governo de El Salvador tenta defender-se legalmente mas caso perca corre um risco enorme de ver outros processos idênticos surgirem. É isto o comércio “livre”. Livre para uns poucos e uma desgraça para os outros todos.

Anúncios
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Marreta  On Quinta-feira, 11 Fevereiro 2010 at 1:22 pm

    Realmente isto de comércio “livre” pouco ou nada tem, seria mais ajustado “exploração livre”: Mas mais confusão me faz são os contornos que dão legitimidade a esta empresa de poder extrair ouro num país “teoricamente” independente e soberano.

    Saudações do Marreta.

  • C  On Sexta-feira, 12 Fevereiro 2010 at 12:59 am

    Meus amigos, é o comércio livre, com os mercados a ajustarem-se para ajudar todos. Vejamos o exemplo de há 100 anos atrás quando a Inglaterra destruiu a capacidade industrial da Índia usando uma combinacao de proteccionismo local (impostos altos sobre importacoes) e exatamente a tática oposta quando o produto ingles entrava no mercado indiano.

  • MFerrer  On Domingo, 14 Fevereiro 2010 at 10:02 pm

    Convido-te a reproduzir e a assinar este Manifesto em defesa da Democracia e do PS :
    http://www.peticaopublica.com/?pi=P2010N1319
    Quem está preocupado com estas desgraçadas cumplicidades da direita trauliteira com a esquerda irreesponsável, tem o dever de tomar partido e de se manifestar!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: