O poder aumenta a hipocrisia

Um novo estudo da Kellogg School of Management (“Power Increases Hypocrisy: Moralizing in Reasoning, Immunity and Behavior,” dirigido por Adam Galinsky) explora a questão das pessoas que detêm altos cargos de poder serem simultaneamente muito exigentes moralmente com os que estão abaixo na hierarquia mas muito pouco consigo mesmos.

«For instance, we saw some politicians use public funds for private benefits while calling for smaller government, or have extramarital affairs while advocating family values. Similarly, we witnessed CEOs of major financial institutions accepting executive bonuses while simultaneously asking for government bailout money on behalf of their companies.»

Os investigadores também concluíram que esta hipocrisia moral é bastante mais significativa entre os que se consideram legitimamente poderosos, do que os que pessoalmente não sentem essa legitimidade. Estes são de facto mais exigentes consigo mesmos do que o são com outros – fenómeno designado pelos investigadores de “hipercrisia”. Múltiplos estudos realizados por esta equipa apontam esta tendência – a hipercrisia – como também sendo uma característica dos desprovidos de poder.

Finalmente, Galinsky aponta a importância que estes padrões morais e de comportamento têm no alimentar das desigualdades sociais:

«Em última instância, os padrões de hipocrisia e de hipercrisia perpetuam a desigualdade social. Os poderosos impõem regras e restrições aos outros enquanto ignoram essas restrições para si mesmos, ao mesmo tempo os que não têm poder colaboram na reprodução da desigualdade social porque não sentem o mesmo direito.»

Penso que não estarei a ir longe demais ao concluir que é a própria existência de hierarquias a fomentar a desigualdade social. Afinal, quer a maior incidência de hipocrisia, quer a de hipercrisia, tem origem nos diferentes papéis que a hierarquia leva as pessoas a representar.

Os poderosos, pela própria definição do atributo que os caracteriza, são os grandes responsáveis pela desigualdade. Sejam eles mais ou menos hipócritas, são eles os directos responsáveis pelas regras e pelas restrições que impõem à sociedade. Quanto aos outros, terão obviamente que aumentar as suas expectativas, o seu criticismo, a sua exigência e levar essa atitude até às últimas consequências.

Advertisements
Post a comment or leave a trackback: Trackback URL.

Comentários

  • Guevara  On Segunda-feira, 4 Janeiro 2010 at 5:06 pm

    Bom artigo, simples e de muito conteúdo. vou metê-lo no meu blog. http://antifa-lutaerevolucao.blogspot.com/

    Continuem com esta luta, é a luta certa.
    ANTIFA SEMPRE!!

  • mescalero  On Segunda-feira, 4 Janeiro 2010 at 6:21 pm

    Obrigado companheiro. Tenho seguido o que têm feito. Força com isso.

Trackbacks

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: